Blog

Curso Livre de Radiestesia

radiestesia2

O termo Radiestesia nasce da união de outros dois termos:

  •  Radius: Que vem do latim e significa radiação.
  • Aisthesis: De origem grega e que significa sensibilidade.

Indicando assim a sensibilidade as radiações, uma definição simples, mas que nos deixa entrever suas reais possibilidades.

A Radiestesia esta pautada no entendimento de que vivemos em um universo energético, algo cada vez mais aceito pela ciência oficial, o que nos conduz a entender a existência de uma comunicação energética entre o homem e aquilo que o cerca.

Este campo energético emitido pôr tudo possui graus diferentes, a energia emitida pela água pôr exemplo é diferente daquela emitida pelo chumbo, ainda seguindo este raciocínio podemos dizer que um órgão saudável possui uma emissão energética diferente do mesmo órgão quando este se encontra enfermo.

Querendo ou não o homem está constantemente cercado de energias eletromagnéticas, planetárias, telúricas entre outras, sejam estas derivadas de instalações elétricas, satélites, micro-ondas, redes de alta tensão (entre tantas outras fontes), o problema é que não conseguimos perceber seus efeitos ou a sua presença, até que estas venham a nos prejudicar.

A Radiestesia é a ciência e a técnica que permite a observação e mensuração de tais energias, através do desenvolvimento da sensibilidade do radiestesista. Ao contrário do que muitos imaginam a Radiestesia é algo muito antigo, uma ciência que vem de longa data, sendo encontrada a sua prática entre diversos povos antigos como, por exemplo, os chineses e os egípcios.

Existem diversos instrumentos que são usados na prática radiestésica, sendo o mais famoso de todos o pêndulo, dado a facilidade de seu manuseio, o baixo custo para obtê-lo e a precisão do diagnóstico fornecido pôr este dispositivo.

Algo que se deve deixar claro ao estudante desde o princípio é que a Radiestesia não é algo místico (nada tem a ver com mediunidade ou com “dons”), a Radiestesia é algo natural no ser humano, algo que qualquer um pode desenvolver com um pouco de estudo e prática.

Outro ponto que deve ser frisado, não é o pêndulo ou qualquer outro instrumento de Radiestesia que capta as energias (pois estes apenas são extensores para a decodificação externa), mas sim a mente humana é a verdadeira responsável. De fato a mente do operador capta as energias e se comunica com a parte consciente do radiestesista através de uma linguagem pré-estabelecida pelo próprio radiestesista, para ficar um pouco mais claro, o inconsciente capta a energia e para que o operador possa identifica-la e saber o que foi captado o cérebro envia sinais através do sistema nervoso, estes impulsos por sua vez são os responsáveis pelo movimento do pêndulo para que então a energia possa ser identificada, quantificada e até mesmo qualificada, ou seja, nada há de sobrenatural em tal ciência.

-Conteúdo programático do curso (resumido):

  • Apresentação, introdução e história da radiestesia;
  • Fundamentos da radiestesia;
  • Compreendendo a radiestesia;
  • Os tipos de pêndulos e suas funções principais;
  • Programação do pêndulo;
  • Técnicas que todo radiestesista deve saber;
  • Gráficos e suas utilizações na radiestesia;
  • Dicas e observações importantes nos procedimentos radiestésicos;
  • Exercícios e práticas 1;
  • Exercícios e práticas 2;
  • Exercícios e práticas 3;
  • Exercícios e práticas 4;
  • Exercícios e práticas 5;
  • Exercícios e práticas 6.
  • Praticas demonstrativas;
  • Praticas supervisionadas.

-Pré-requisito:

Nível médio.

-Metodologia do Curso:

Aulas teóricas dialogadas e/ou expositivas com a utilização de data show; aplicações práticas exemplificativas e práticas supervisionadas entre os alunos.

-Objetivo do curso:

O curso é destinado a formar profissionais capacitados para a utilização da Radiestesia em todos os seus campos de atuação. Os recursos compostos no curso capacitarão o profissional para a prática e utilização dos mesmos.

Deixe um Comentário